Brasil Novo Notícias: Março 2020

terça-feira, 31 de março de 2020

DIREÇÃO DA ESCOLA DUCILLA DE ALMEIDA ESCLARECE SOBRE A TORRE CONSTRUÍDA NAS DEPENDÊNCIAS DA ESCOLA

A EEEM Professora Ducilla Almeida do Nascimento quer esclarecer a população altamirense sobre a torre construída dentro da escola, que nos últimos dias foi palco de dois suicídios de jovens altamirenses.
A torre não é de propriedade da escola, não foi a escola que mandou construir e sim o governo do estado que a impôs à comunidade escolar. Na época da construção, a escola impôs algumas condições para que a torre fosse construída, tais como: aumento do muro da escola e cercamento ao redor da torre para evitar a aproximação dos alunos, mas essas condições não foram cumpridas, facilitando a aproximação e subida de pessoas na torre.
A escola esclarece que já foram feitas várias reivindicações à SEDUC Belém, e já recorreu ao Ministério Público várias vezes, mas não tivemos solução para as solicitações de segurança que poderiam ter impedido a entrada de pessoas nas dependências da escola para cometer ato tão trágico.
A escola está tomando todas as providências para que esses problemas sejam sanados, no intuito de evitar novas tragédias.

Fonte: A Voz do Xingu 

CARRO CAPOTA NA RODOVIA TRANSAMAZÔNICA - BR 230

Esse foi só mais um acidente no desvio entre a Cidade de Brasil Novo e a Agrovila Carlos Pena Filho

Por: Anotonio Nilso

FAKE NEWS: MULHER TERIA ASSASSINADO RIVAL EM CASTELO DE SONHOS


As imagens são fortes. Um corpo estendido no chão abandonado e todo ensanguentado no quintal de uma casa. Nas redes sociais a informação viralizou rapidamente e de acordo com um áudio encaminhado junto às imagens o homicídio bárbaro teria sido cometido no distrito de Castelo de Sonhos, território de Altamira.  Segundo as pessoas que compartilharam a informação, as duas seriam rivais e estariam brigando por conta da traição cometida pelo marido da agressora.
Apesar da gravidade do caso, a história violenta não se passou em Castelo de Sonhos, mas na cidade de Marabá, região rural, a vítima foi morta a facadas e teve a cabeça decepada do corpo. A violência com que a mulher foi morta revoltou moradores da comunidade que invadiram o local renderam a homicida.  Eles levaram a acusada até uma estrada de terra e amarraram ela a uma cerca.
Testemunhas contaram que a intenção dos moradores era linchar a homicida, mas a Polícia Militar foi acionada e impediu que outro crime fosse praticado. Quando os policiais chegaram a mulher estava amarrada e vários homens estavam ao seu redor. Ela foi retirada do local e levada para a delegacia onde está à disposição da justiça.

Fonte: Confirmanoticia

MPF RECOMENDA QUE PDRSXINGU REPASSE RECURSOS EMERGENCIAIS À ECONOMIA E À SAÚDE DE ALTAMIRA (PA) E REGIÃO

Ofício foi encaminhado nesta segunda-feira (30) à Secretaria de Governo da presidência da República

O Ministério Público Federal (MPF) encaminhou ofício à Secretaria de Governo da presidência da República nesta segunda-feira (30) em que registra que recursos do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável (PDRS) Xingu devem repassados, de forma emergencial, ao município de Altamira (PA) e região, como forma de socorrer a economia local e o sistema de saúde geral e indígena, impactados pelas medidas de combate à pandemia do novo coronavírus.
Criado em 2010, o PDRS Xingu é o principal instrumento usado pelo governo e pela empresa responsável pela hidrelétrica de Belo Monte, a Norte Energia, para gerenciar e aplicar recursos na região impactada pela obra. Na criação do plano, a Norte Energia foi obrigada a investir R$ 500 milhões no PDRSX, em um prazo de 20 anos.
No ofício à Secretaria de Governo, o MPF diz que a aplicação de recursos do PDRS Xingu para um Plano de Assistência ao Município de Altamira e região, como forma de minimizar os impactos da pandemia, deve ser feita com controle social e participação dos diversos setores envolvidos.
O MPF destaca que a economia – principalmente para a população de baixa renda e para trabalhadores e empresários dos setores do comércio e serviços – e o sistema de saúde – tanto o sistema geral quanto o sistema especial indígena – serão os setores mais impactados pelas medidas de prevenção e combate à pandemia.
Em relação à economia, medidas insistentemente recomendadas por autoridades de saúde nacionais e internacionais indicam a necessidade do fechamento temporário de estabelecimentos não essenciais, para estimular o isolamento social e reduzir a velocidade de contágio da população pela doença covid-19.
Sobre a área da saúde, no mundo todo a pandemia tem gerado demandas extremamente altas para o sistema de atendimento médico. A sobrecarga é tão alta que autoridades sanitárias têm apontado o risco do colapso (insuficiência) do sistema, com risco de falta de leitos, profissionais da saúde e equipamentos de proteção.
Sobre esses temas, em entrevista coletiva concedida neste sábado (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que “essa doença causou não uma letalidade para o indivíduo, não é esse o nosso problema, nem daqueles que falam assim, ‘ah essa doença só vai matar 5 mil, 10 mil’, não é essa a conta. A conta é que esse vírus ataca o sistema de saúde e ataca o sistema da sociedade como um todo, ataca a logística, ataca a educação, ataca a economia”.
Ascom MPF/PA

MPF VAI À JUSTIÇA PARA MANTER ISOLAMENTO SOCIAL EM ALTAMIRA, NO PA

Prefeito de uma das maiores cidades do estado anunciou reabertura do comércio a partir de amanhã (31). Medida pode jogar por terra esforços para conter o contágio de coronavírus

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública para impedir a flexibilização do decreto municipal que determina o fechamento de serviços não-essenciais e mantém o isolamento social em Altamira, uma das maiores cidades do Pará, como precaução para evitar o contágio exponencial da população pelo coronavírus. O prefeito da cidade, Domingos Juvenil, anunciou, depois de reunião com comerciantes e empresários locais, o retorno do comércio “em sua plenitude”. A reabertura de shoppings, serviços e lojas que não vendem produtos essenciais, sem nenhuma restrição, pode jogar por terra os esforços feitos até agora para conter a progressão da pandemia.
Em nota divulgada na semana passada, após reunião com representantes de associações comerciais e empresariais de Altamira, a prefeitura disse que a partir do dia 31 de março (terça), quando vence o decreto municipal sobre o isolamento social, o comércio da cidade voltará a funcionar “em sua plenitude”. A nota diz ainda que novas medidas de isolamento poderão ser tomadas amanhã e as escolas permanecerão fechadas, “mas sem afetar o comércio”. A divulgação feita pela prefeitura provocou expectativa na cidade de que todas as lojas serão reabertas, o que fatalmente provocaria aglomerações e favoreceria o avanço da pandemia na região.
Na ação, ajuizada na Justiça Federal de Altamira, o MPF pede que a prefeitura seja obrigada a manter as medidas necessárias para garantia do isolamento social recomendado pela Organização Mundial de Saúde e pelo Ministério da Saúde; que se abstenha de flexibilizar as medidas de enfrentamento da pandemia de covid-19, sem respaldo em dados de saúde pública que avaliem o momento atual de propagação do vírus e afirmem a capacidade de suporte do município para enfrentar a crise prognosticada, sem o colapso de seu já precário sistema de saúde; e que se abstenha de autorizar o pleno funcionamento do comércio, serviços e atividades não essenciais, sem restrições que desestimulem a circulação de pessoas em vias públicas.
O MPF destaca na ação judicial que os dados que já se conhecem sobre a expansão do coronavírus pelo mundo impõem o reconhecimento de que o pior está por vir e está iminente, o que exige cautelas sanitárias redobradas. Mesmo que os cientistas ainda precisem avançar muito no conhecimento sobre o novo coronavírus e a pandemia, há um ponto de consenso: “o distanciamento/isolamento social é a estratégia que se tem mostrado eficaz no retardamento da velocidade de propagação da doença”, diz o texto. “Retardar sua velocidade de propagação é a única forma de mitigar os impactos sobre o Sistema de Saúde, impedindo – ou, ao menos reduzindo –, com isso, o número de mortes evitáveis. Compreenda-se: mortes que decorram não diretamente da doença Covid-19 ou de sua associação a comorbidades, mas de ineficiência no atendimento médico-hospitalar”, alerta o MPF.
“Sabe-se que o isolamento social, mediante fechamento de serviços não essenciais, é medida que vem sendo determinada em todos os países que enfrentam a pandemia. Foi estabelecida, inicialmente, na China, depois na Itália, na Inglaterra e nos Estados Unidos, entre outros. Alguns países, por adotar a medida tardiamente, pagaram altos custos, em recursos e vidas”, sustenta a ação judicial. Interromper o movimento da população permite ganhar tempo e reduz a pressão nos sistemas de saúde. A OMS recentemente reforçou que “a última coisa que um país precisa é abrir escolas e empresas, e ser forçado a fechá-las novamente por causa de um ressurgimento do surto”.
Neste contexto de grave crise de saúde pública a decisão do gestor municipal de flexibilizar as diretrizes de prevenção só pode ser tomada se fundamentada em relatórios de saúde que atestem a segurança do sistema de saúde pública do município. O MPF lembra que o sistema de saúde de Altamira já se encontra muito precarizado pelos impactos sofridos com a instalação da usina de Belo Monte. A cidade, que atende também a população de municípios vizinhos, conta com apenas 20 leitos de terapia intensiva com respiradores. Além disso, é também um pólo regional para povos indígenas que moram em 11 territórios vizinhos, o que acrescenta mais um risco grave a qualquer decisão da gestão do município: o de que a contaminação chegue nas aldeias, provocando genocídio.
“O Decreto municipal que impôs o fechamento do comércio local foi um elemento fundamental para que se mantivesse os indígenas nos seus territórios. A reabertura indiscriminada dos estabelecimentos comerciais será um atrativo para a presença de indígenas na cidade. E o aumento da circulação de pessoas nas ruas, eleva por conseguinte o risco de contaminação da população indígena, com riscos de entrada do patógeno nas aldeias, para transmissão sustentada. Segundo a médica sanitarista Sofia Mendonça, pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), “há um risco incrível de o vírus se alastrar pelas comunidades [indígenas] e provocar um genocídio”, registra a ação judicial.
Para o MPF, “não basta que o isolamento seja parcial, ou “vertical” (isto é, apenas de idosos e pessoas em grupos de risco), pois, se o vírus se espalhar mais rapidamente no resto da população, inevitavelmente chegará aos idosos”. “Não apenas seria ineficiente, mas impraticável no país, tendo em vista que incontável número de idosos residem muitas vezes com crianças e jovens, sendo inviável separá-los das famílias, que podem trazer o vírus para dentro de casa e contaminá-los”.
Ascom MPF/PA

QUEM PODE RECEBER O BENEFÍCIO DE R$ 600 E COMO SERÁ DISTRIBUÍDO

Trabalhadores autônomos, informais e em regime de trabalho intermitente inativo estão incluídos em texto aprovado no Senado

dinheiro (Rmcarvalho/Getty Images)
O Senado aprovou nesta segunda-feira (23) o projeto que distribui auxílio emergencial no valor de R$ 600, durante três meses, a trabalhadores autônomos, informais e com renda intermitente inativos (que têm vínculo de trabalho mas não estão trabalhando por falta de demanda). O objetivo é que esses trabalhadores consigam se sustentar durante a crise provocada pelo coronavírus.
O valor pode chegar a R$ 1.200 por família no caso de mães que sustentem uma família sozinhas.
O projeto de lei 1.066, de 2020, irá conceder o benefício a trabalhadores que se enquadrarem nas seguintes exigências:
·         ter mais de 18 anos
·         não ter emprego formal (em regime CLT ou como servidor público) ou ter contrato de renda intermitente ativo
·         não receber benefícios, como aposentadoria, seguro-desemprego ou programas de transferência de renda do governo, com exceção do bolsa família
·         ter renda familiar mensal por membro da família de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135)
·         que em 2018 não tenha recebido recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
Os candidatos devem ainda cumprir uma das seguintes exigências:
·         prestar serviços como Microempreendedor Individual (MEI)
·         contribuir para a Previdência Social individualmente ou de forma facultativa
·         ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) até 20 de março (a partir dessa data, trabalhadores não inscritos poderão fazer uma autodeclaração via plataforma digital)
·         ter cumprido o requisito de renda média até o dia 20 de março
Será permitido que até duas pessoas de uma mesma família acumulem benefícios (auxílio emergencial e bolsa família). Caso o auxílio emergencial seja maior do que o do benefício do bolsa família, o trabalhador irá receber o maior
Parlamentares acreditam que o benefício será essencial para quem está impedido de trabalhar, para que os trabalhadores não se arrisquem nas ruas e também para que famílias de baixa renda consigam alimentar seus filhos, que estão em casa em tempo integral em consequência do fechamento das escolas.
O benefício será interrompido no momento em que houver o descumprimento de exigências necessárias para ser elegível a ele.

Como o benefício poderá ser sacado

O benefício será distribuído na forma de vouchers (cupons) pelos bancos públicos federais (Caixa e Banco do Brasil) em três prestações mensais, não importa a data de início do benefício.
O dinheiro será depositado em contas do tipo poupança social digital, que será aberta de forma automática em nome dos beneficiários. A conta poderá ser a mesma usada para pagar o PIS/Pasep e o FGTS. Esse tipo de conta não permite a emissão de cartões e nem cheques.
Serão pagos R$ 10 milhões mensalmente aos trabalhadores, segundo estimativas dos parlamentares.

MAIS CINCO CASOS DE COVID-19 SÃO CONFIRMADOS NO PARÁ; AO TODO SÃO 26 CASOS

 Pedro Guerreiro / Ag. Pará
Mais cinco casos de novo Coronavírus foram confirmados no Pará, na tarde desta segunda-feira (30). Quatro são de Belém e um de Ananindeua. Ao todo, já são 26 casos no estado.
Um dos casos é uma mulher, de 55 anos, e que teve contato com um caso confirmado. O outro é um homem, de 53 anos, sem histórico de viagem recente ou contato com caso suspeito, mas tem contato com pessoa que trabalha em ambiente hospitalar. O terceiro caso é de um homem, 35 anos, que foi atendido na rede privada e tem histórico de viagem para Fortaleza.
O quarto caso trata-se de um homem, 34 anos, de Belém, não alega viagem. O caso está em investigação. Já o quinto caso é um homem, 29 anos, de Ananindeua, esteve na Suíça, França e Portugal e esteve em contato com os pais que testaram positivo. Todos estão em isolamento domiciliar.  
Confirmamos mais dois casos de Covid-19.
➡️Homem, 34 anos, de Belém, não alega viagem. O caso está em investigação.
➡️Homem, 29 anos, de Ananindeua, esteve na Suíça, França e Portugal e esteve em contato com os pais que testaram positivo.
Agora são 26 casos confirmados no Pará.

422 pessoas estão falando sobre isso
Confirmamos mais três casos de Covid-19.
➡️ Homem, 35 anos, de Belém, esteve em Fortaleza.
➡️ Mulher, 55 anos, de Belém. Esteve em contato com caso confirmado.
➡️ Homem, 53 anos, de Belém. Não alega viagem. O caso está em investigação.
Agora são 24 casos confirmados no Pará.

359 pessoas estão falando sobre isso

CASOS NO PARÁ

O primeiro caso foi confirmado na semana passada. O paciente é um homem de 37, que está em isolamento domiciliar. Segundo a Sespa, o paciente foi contagiado com a doença no estado do Rio de Janeiro, durante o período do Carnaval. Seu estado de saúde é estável.
O segundo caso confirmado foi de uma mulher de 36 anos. De acordo com a Sespa, a paciente esteve no Rio de Janeiro e em São Paulo e, chegou a Belém no dia 14 de março. 
Dois outros casos foram confirmados no domingo (22). Uma mulher de 44 anos, que chegou em Belém no dia 16 de março após estar no Rio de Janeiro e fazer conexão em São Paulo. E um homem de 53 anos, que também chegou a Belém no dia 16 de março, após participar de um evento em São Paulo, no qual outros casos foram positivados. 
O quinto caso foi confirmado na segunda-feira (22). A paciente é uma mulher de 29 anos, do município de Marabá. Segundo a Sespa, ela estava em São Paulo e retornou ao Pará no dia 16 de março. 
Dois outros casos de Covid-19 foram confirmados em Ananindeua, na quarta-feira (25). Segundo a Sespa, os pacientes são uma mulher de 35 anos, que esteve em São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal e o esposo dela, de 42 anos. Ambos estão em isolamento domiciliar. 
Mais dois casos foram confirmados. O anúncio foi feito pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho. Os pacientes são uma mulher de 23 anos, de Belém, que esteve em Fortaleza, e um homem de 36 anos, de Belém, que estava na França. Os dois seguem em isolamento domiciliar e estão bem.
Outros quatro casos de Covid-19 foram confirmados no Pará, segundo balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), na quinta-feira (26). Os pacientes são uma mulher de 24 anos, de Itaituba, que veio da Europa. A outra é uma mulher de 47 anos, de Castanhal, que veio de Fortaleza. Os outros são um casal de Ananindeua, uma mulher de 35 anos e seu esposo de 26, de Ananindeua, que estiveram em contato com o primeiro caso confirmado no município.
Mais três casos foram confirmados na sexta-feira (27). Segundo a Sespa, os pacientes são um homem de 42 anos, com histórico de viagem para o Rio de Janeiro e uma mulher, 43 anos, que teve contato, em Belém, com uma pessoa que viajou para o Rio Grande do Sul. Os dois estão em isolamento domiciliar e são considerados estáveis. O terceiro caso foi de um homem, de 44 anos, de Belém, que teve contato com um caso positivo que veio de SP.  
O Pará confirmou mais dois casos de coronavírus no sábado (28). Segundo o boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), os pacientes são um homem, de 25 anos, de Parauapebas, que esteve na Itália e  uma mulher de 42 anos, que teve contato com um paciente de Belém que testou positivo para o Covid-19
Mais dois casos foram confirmados no domingo (29). Segundo a Sespa, o paciente é um homem, de 30 anos, profissional de saúde e que não relata viagem ou contato com pacientes que tenha testado positivo para o novo coronavírus. O caso está em investigação. Além de uma criança, a primeira no Estado, que tem 9 anos  e é filha de um paciente que já havia testado positivo. Segundo a Sespa, ela está bem e em tratamento domiciliar.
Na manhã desta segunda-feira (30), uma idosa de 68 anos, que veio de Goiânia,  teve o diagnóstico positivo. Ela é a primeira idosa com coronavírus no Pará. 
PREVENÇÃO
O DOL também embarca nessa luta para levar até você internauta novidades sobre métodos de prevenção, orientações e notícias, disponibilizando uma nova área no portal para concentrar as informações sobre a covid-19.
Fonte: Dol

MOTORISTA PERDE O CONTROLE E CARRO CAI EM PONTE NA TRANSAMAZÔNICA

O VEÍCULO FICOU PRESO NA ESTRUTURA DA PONTE E MOTORISTA PASSA BEM
Por: Valdemidio Silva

segunda-feira, 30 de março de 2020

MÃE E FILHO DE QUATRO MESES MORREM AO SEREM ATROPELADOS APÓS SAIREM DA IGREJA NA VILA NAZARÉ EM PACAJÁ PARÁ

Durante a Noite de Ontem Domingo (29/03/2020), Por Volta das 22:30hrs, Uma Guarnição da Polícia Militar de Pacajá, apresentou na Delegacia "Wilgner Santos Cunha" de 25 anos, após ter atropelado e Matado mãe e Filho na Rodovia Transamazônica na Comunidade Vila Nazaré Zona rural de Pacajá.
As Vítimas São a Sra, "Vanessa Luz do Nascimento" e seu filho "Enzo Gabriel Nascimento Carvalho" de apenas quatro meses que estava em um Carrinho de bebê. Segundo informações, mãe que estava com seu filho, Voltava para Sua Casa após sair da igreja, ela caminhava pela Rodovia quando de repente foram atropelados por Um veículo desgovernado.
Ainda de acordo com as informações, o Condutor Wilgner, teria perdido o Controle do Carro, vindo a atropelar e matar mãe e filho que estavam transitando pela as margens da BR-230 Transamazônica. Após o Acidente o condutor teria fugido do local por medo de ser linchado Por Populares da Comunidade. O mesmo teria ingerido bebida alcoólica e havia pego o carro que é de seu pai escondido.
Durante sua fuga o condutor teria avistado a Guarnição da Polícia Militar onde informou sobre o Ocorrido porém foi preso em flagrante e encaminhado até a Delegacia de Polícia Civil de Pacajá para a Realização dos Procedimentos Cabíveis.
Esperamos que a justiça seja feita, pois no Brasil só quem fica preso de verdade é quem perde a vida. Minhas condolências à família e amigos das Vítimas.

(Resumo da informação e texto repórter Cinematográfico Carlos Calaça com informações da Polícia Militar e Civil de Pacajá)

HOMEM ATEA FOGO NA PRÓPRIA CASA SE ESFAQUEIA E MORRE NO HOSPITAL EM ANAPU/PARÁ

Foi durante a Manhã desse Domingo (29/03/2020), quando moradores da Avenida Oscar Dantes no Bairro Alto Bonito conhecido também como morro do Macaco, se surpreenderam Com uma Casa pegando fogo.
Segundo as informações, Um Homem identificado apenas como "Duda", teria se esfaqueado e logo em seguida ateado fogo na sua própria residência. O Samu foi Acionado para prestar os primeiros socorros ao Cidadão, onde foi encaminhado até o hospital Municipal de Anapu onde acabou evoluindo a óbito.
Uma equipe da Prefeitura Municipal de Anapu, rapidamente se deslocou até o local com um Caminhão pipa e conseguiram apagar o fogo antes que se propagasse para as outras residências próximas.
Sobre a Situação, a Polícia Civil de Anapu deve abrir um inquérito policial para apurar as circunstâncias e saber o que motivou a ação do Cidadão que acabou perdendo a Vida.
Ainda de acordo com as informações, o Município de Anapu conta com pelo menos oito Bombeiros Civis, porém não tem apoio do Poder Municipal e sempre que acontecer casos de incêndio que são acionados, os mesmo solicitar o caminhão Pipa da prefeitura, eles têm que pedir autorização para muitos caciques.
Então Senhor prefeito e Vereadores de Anapu, vamos agir e da apoio para esses guerreiros, porque em casos de extrema Urgência, eles já tem que ter o Caminhão a disposição até porque extintores de incêndio não apaga fogo de grande proporções.

PRÓ-SAÚDE REBATE DENÚNCIA DO MPF DO PARÁ

Em relação à matéria “MPF solicita contratação de mais funcionários da saúde para combate ao coronavírus no Estado”, a Pró-Saúde esclarece que o número de enfermeiros e técnicos de Enfermagem, contratados para atuar no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, está adequado para garantir a segurança dos pacientes no atual momento e se encontra alinhado ao que preconiza os órgãos de classe. A direção do Hospital está atenta ao cenário da pandemia de Covid-19 para monitorar e atender todas as necessidades assistenciais. Cabe ressaltar que os devidos esclarecimentos já foram prestados.
No Pará, a Pró-Saúde gerencia quatro hospitais certificados pelo Programa Nacional de Qualidade, concedido pelo Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), que assegura o alto nível dos serviços de enfermagem prestados por instituições em todo o Brasil. Entre eles, o Hospital Yutaka Takeda, em Parauapebas, foi a primeira unidade em todo o território nacional a conquistar o certificado. Já o Hospital Público Estadual Galileu, em Belém, também gerenciado pela instituição, foi o primeiro 100% SUS no Brasil a conquistar o selo. Os Hospitais Cinco de Outubro, em Canaã dos Carajás, e de Porto Trombetas, em Oriximiná, seguiram o modelo e também foram contemplados pela conquista, que reconhece as melhores práticas no que diz respeito à segurança do paciente.
Nota encaminhada pela Assessoria de Comunicação da Pró-Saúde

51º BIS REALIZA AÇÃO DE COMBATE AO COVID-19 EM ALTAMIRA

Aconteceu durante a tarde desse sábado(28) em Altamira Sudoeste do Pará uma ação realizada pelo 51°Bis, com o objetivo de previnir e diminuir a propagação do Novo Coronavírus em locais de grande movimentação.
A ação foi denominada *operação COVID-19* e contou com 15 militares do *Quinquagésimo primeiro batalhão de infantaria e selva* que fizeram a desinfecção em locais como o terminal Rodoviário do município e na balsa que liga a sede de Altamira a região da Gleba Assurini. 
A operação conta com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde(SESMA), Universidade Federal do Pará(UFPA) e Secretária De Estado de Saúde pública do Pará(SESPA).Durante a próxima semana a ação vai ser realizada em outros pontos de circulação da cidade.

Por: Júnior Soares 
Fotos: Setor de Comunicação Social do 51º BIS