Brasil Novo Notícias: APÓS DIVERGÊNCIAS, DEBATE SOBRE PEC EMERGENCIAL É SUSPENSO NA CÂMARA

terça-feira, 9 de março de 2021

APÓS DIVERGÊNCIAS, DEBATE SOBRE PEC EMERGENCIAL É SUSPENSO NA CÂMARA

Ponto polêmico foi a inclusão das medidas de ajuste fiscal

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
A Câmara dos Deputados suspendeu a discussão sobre a PEC Emergencial marcada para a manhã desta terça-feira (9). O debate foi interrompido no momento em que os deputados se preparavam para votar um requerimento da oposição pedindo a retirada do texto da pauta.

A PEC Emergencial, além de autorizar o pagamento do novo auxílio emergencial, prevê uma série de medidas de ajuste fiscal que congela salários do funcionalismo público, proíbe a criação de cargos e de novos concursos públicos caso os gastos correntes alcancem 95% do previsto para o teto de gastos.

A oposição, contrária ao ajuste, tentava retirar essas medidas, como argumentou o deputado do PT gaúcho, Bonh Gass.

A proposta também foi criticada por parte da base governista. O líder da bancada da segurança pública, Capitão Augusto, do PL paulista, apresentou emenda para retirar os policiais da PEC. Segundo o parlamentar, as forças de segurança não devem ser prejudicadas com o congelamento de salários.

Diante desse cenário, ainda no início da sessão, o vice-presidente da Casa, deputado Marcelo Ramos, do PL do Amazonas, recebeu um telefonema do presidente da Câmara, Arthur Lira, e suspendeu o debate.

Após se reunir com o presidente Jair Bolsonaro, o relator da PEC na Câmara, deputado Daniel Freitas, do PSL de Santa Catarina, garantiu que vai pautar no plenário o texto da forma que veio do Senado.

O relator da PEC defende que a matéria seja aprovada da forma como veio do Senado para evitar que o texto volte aos senadores e atrase o pagamento do auxílio emergencial.

Ainda segundo o relator, ficou acordado que o Plenário votará a admissibilidade da matéria nesta terça-feira, ou seja, se o texto é ou não constitucional, e o mérito da PEC ficará para a quarta-feira (10), quando poderá ser votado em dois turnos no plenário.

Por: Lucas Pordeus León – Brasília

Fonte: Radioagência Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário